CIRURGIA DA DIABETES

diabBaseado nos trabalhos do Professor Francesco Rubino (IRCAD & Universidade Católica de Roma) e na sequência dos resultados clínicos obtidos com a cirurgia de bypass gástrico, deu-se início a uma “task force” internacional com cirurgia de investigação no tratamento da diabetes tipo 2.

Baseado nos trabalhos do Professor Francesco Rubino (IRCAD & Universidade Católica de Roma) e na sequência dos resultados clínicos obtidos com a cirurgia de bypass gástrico, deu-se início a uma “task force” internacional com cirurgia de investigação no tratamento da diabetes tipo 2.

Porque se verificava que os doentes operados com bypass gástrico obtinham a remissão da diabetes cerca de 3 a 4 semanas após a operação, ainda antes de obterem a perda de peso, deu-se início à validação desta operação para tratamento da diabetes tipo 2.

Na cirurgia da obesidade com variadas técnicas como a banda gástrica e o “sleeve” gástrico verificava-se a cura da diabetes tipo 2 geralmente ao fim do primeiro ano pós-operatório e após ser conseguida a redução do peso para valores abaixo do IMC de 30. No bypass gástrico isso acontecia precocemente ainda antes de se verificar perda de peso acentuada.

Verificando-se que se obtinha uma subida dos valores da hormona GLP-1 que é uma das responsáveis pela estimulação endógena da produção de insulina pelo pâncreas, estes dados originaram vários estudos em países como Itália, Brasil, USA, França e México que demonstraram em cerca de 8000 doentes já operados até 2006 a validade cientifica desta operação para tratar a diabetes tipo 2.

Outras operações estão a ser propostas no tratamento da diabetes tipo 2 como a cirurgia de transposição ileal que se demonstrou também ser válida nesse tratamento.

Os conceitos aplicados baseiam-se no facto de se obter a subida dos valores hormonais, gástrico e intestinal, nomeadamente o GLP-1 sempre que se retiram os alimentos do circuito natural duodeno jejunal ou se fizer passar os alimentos precocemente pelo íleon com a sua transposição para os segmentos iniciais do intestino delgado.

Actualmente prevê-se o tratamento da diabetes tipo 2 também em doentes não obesos desde que cumpram os critérios de eleição para esta cirurgia metabólica.

Estamos envolvidos nestas soluções cirúrgicas desde 2006, acompanhando os estudos e a investigação em curso e frequentando as reuniões clínicas e acções de formação deste grupo pioneiro.


Dr. Jorge Limão
Responsável Médico da SIC BM
Cirurgia Bariátrica e Metabólica no British Hospital